27/09/19 Segurança de Redes # , , , ,

É preciso ficar atento para não cair no golpe!


Como funciona?

Hoje em dia está cada vez mais comum ter os dados roubados e, dessa vez, o ataque é no Facebook. Um novo golpe de phishing rouba os dados por meio de perfis amigos. É isso mesmo! Os criminosos estão invadindo a rede social e usando a lista de amigos para mandar mensagens e convencer as pessoas a clicarem em links ou digitarem endereços de páginas falsas.

A conversa acontece no Facebook Messenger e induz que a pessoa abra o endereço enviado pelo “amigo”. O golpe foi divulgado pela Better Business Bureau e, segundo a companhia, a vítima recebe uma mensagem com o contexto “É você?”. A frase confunde o usuário, que pode ficar preocupado e curioso para abrir o link.

A partir disso, os criminosos usam a lista de contatos para semear diferentes estratégias de phishing. Os dados de acesso são captados e a conta pode ser utilizada para enganar outros usuários.

Sobre o phishing

O phishing é uma tática na qual os hackers usam mensagens para enganar as vítimas. O ataque pode ter alguns objetivos como roubar dados e instalar softwares maliciosos. Além das redes sociais, esse tipo de golpe também pode ser distribuído por e-mail e até sms. Leia mais sobre o assunto aqui!

Proteja-se do golpe de phishing!

Se tratando de segurança virtual, é sempre importante desconfiar quando links suspeitos são enviados para você. Mesmo sendo de um amigo, desconfie! Pergunte se aquela mensagem foi de fato enviada por ele.

E, no geral, tome cuidado com qualquer link ou mensagem suspeita. Na internet, todo cuidado é bem-vindo e a EW Info pode te ajudar! Se você busca segurança, competência e credibilidade em segurança da tecnologia, conte com a gente!

Gostou do nosso artigo? Continue nos acompanhando!

Ligue para a EW Informática e fale com um dos nossos especialistas para uma consultoria para sua empresa sem compromisso – (21)3203-0368.

Conheça também nossos serviços em: Antivírus – Bit Defender e Segurança da informação

Entre em contato
e saiba como a EW Info pode te atender
ewinfo@ewinfo.com.br

no responses
11/06/18 Segurança de Redes # , , , , ,

Nesta segunda-feira (11/06), a bolsa de moedas digitais sul-coreana Coinrail, emitiu um comunicado informando que seu sistema foi atingido por um ataque hacker. A consequência? Perda de 30% das moedas negociadas na bolsa. Mesmo que a empresa ainda não tenha quantificado o valor do ataque, o veículo de notícias sul-coreano Yonhap, calcula que cerca de 40 bilhões de wons (37,28 milhões de dólares) em moedas digitais tenham sido roubadas. 

A bolsa negocia mais de 50 criptomoedas e estava entre as 100 corretoras mais ativas no ano passado. A polícia da Coréia do Sul informou que estava investigando o ataque hacker à corretora.

A consequência?

A desvalorização das criptomoedas se acentuou, levando a uma perda de US$ 42 milhões em valor de mercado no fim de semana. O recuo no preço do bitcoin já ultrapassou os 50%.

Nos últimos meses, todo aquele entusiasmo com as moedas virtuais, tem diminuído. De acordo com o Portal de notícias O Globo, empresas que trabalham no setor estão sob alerta nos últimos meses diante de casos de roubos, manipulação de mercado e lavagem de dinheiro. Mesmo que o ataque tenha acontecido em uma empresa considerada pequena, a notícia alertou o risco em todo o setor e está motivando o movimento de venda. Segundo Stephen Innes, da Oanda, de Cingapura, o movimento é claro “se aconteceu com “A”, pode acontecer com “B” e pode acontecer com “C”. Então as pessoas entram em pânico. “A queda foi exacerbada pela baixa liquidez que tem sido registrada nesse mercado nos fins de semana”.

Oscilação do mercado!

Segundo o portal Convergência Digital, a Coreia do Sul é um dos grandes mercados quando tratamos de moedas digitais e comporta uma das mais movimentadas bolsas de criptomoedas do mundo. A Bithumb, com sede em Luxemburgo. O bitcoin era negociado às 9h32 (horário de Brasília) a 6.777 dólares, queda de 10% em relação a sexta-feira antes do ataque.

Tendo uma baixa de aproximadamente 65% em relação ao pico atingido em meados de dezembro. Não é a primeira vez que um ataque hacker atinge o segmento das criptomoedas.

Por exemplo, no ano de 2014, a bolsa Mt. Gox do Japão, que chegou a tratar com 80% dos investimentos com bitcoin do mundo, entrou com pedido de recuperação judicial depois de perder bitcoins avaliadas em cerca de 500 milhões de dólares. E a bolsa sul-coreana de criptomoedas Youbit depois de ser atacada duas vezes por hackers fechou as portas. Com isso, autoridades do mundo inteiro, têm alertado que investidores precisam ter cautela ao negociar com moedas digitais dada a falta de regulamentação.

Por esse motivo, as pessoas que têm o desejo de fazer esse tipo de investimento, precisam estar protegidas com o seu sistema de segurança!

Nós da EWInfo estamos preparados para resolver esse tipo de questão! Marque um bate-papo conosco! Entre em contato! E continue acompanhando a nossa página para saber mais do mundo da tecnologia!

Ligue para a EW Informática e fale com um dos nossos especialistas para uma consultoria para sua empresa sem compromisso – (21)3203-0368.

Conheça também nossos serviços em: Antivírus – Bit Defender e Segurança da informação

Entre em contato
e saiba como a EW Info pode te atender
ewinfo@ewinfo.com.br

no responses
06/11/17 Segurança de Redes # , , ,

Para muitos usuários, ter um produto da Apple é sinônimo não só de qualidade, mas de segurança. Os usuários confiam que sob qualquer circunstância, o sistema operacional da empresa está livre de qualquer ataque hacker. Será que isso é mesmo possível?

Quando falamos de tecnologia não tem como não lembrar da famosa “maçã”. Prova disso, é que no ano de 2017, com o lançamento do iPhone 8, milhares de pessoas estavam na expectativa para saber as novidades do smartphone.

Muitos são os motivos para que as pessoas queiram adquirir produtos da linha Apple. Seja pelo design inovador ou pela qualidade.  A empresa nesse ano, lançou uma série de atualizações do seu sistema operacional iOS. Nesse pacote de atualizações está uma correção para a vulnerabilidade KRACK.

Vale ressaltar que o KRACK pode permitir que os hackers roubem informações confidenciais das vítimas ou injetem malwares em sites segmentados.

No entanto, mesmo com essa nova atualização, o sistema operacional 11.1 da Apple e o Safari foram hackeados várias vezes.

Competição aponta vulnerabilidade da Apple:

No início deste ano realizou-se a competição PWn2Own – concurso da Trend Micro que reúne diversos hackers “do bem”. Os participantes conseguiram encontrar vulnerabilidades no Safari e no macOS. Nesse evento os competidores passaram o dia tentando invadir diferentes sistemas. Como, por exemplo, o smartphone da Apple, da Samsung Galaxy S8, o Google Pixel e o Huawei Mate 9 Pro. Tudo para conseguirem pôr as mãos em prêmios que totalizavam mais de US$500.000. Tencent Keen Security Lab foi o primeiro a marcar um sucesso, com uma exploração Wi-Fi que lhes valeu US $ 110.000.

“Eles usaram um total de quatro bugs para ganhar a execução do código e aumentar os privilégios. Assim permitiram que seu aplicativo desonesto persista através de uma reinicialização”. Explica Dustin Childs, da Iniciativa Zero Day, baseada em Tipping Point.

“Levaram apenas alguns segundos para demonstrar com sucesso a sua exploração. Esta precisava apenas de dois erros – um no navegador e outro em um serviço do sistema para permitir que seu aplicativo desonesto persistisse por meio de uma reinicialização”. Afirma Childs.

 

Em seguida, Richard Zhu (fluorescência) também visou o Safari Browser no iPhone da Apple 7. Ele usou um bug no navegador e um erro fora do limite no corretor para escapar do Sandbox e executar o código.

Os detalhes dos ataques estão sendo mantidos em segredo até que a Apple analise e faça os ajustes necessários.

Isso desmistifica a ideia de que os produtos da grande empresa de tecnologia – Apple não possa ter problemas com ataques hackers.  Uma vez que os pesquisadores conseguiram detectar com facilidade erros no software, com apenas algumas horas após o lançamento do iOS 11.1.

Essa atualização incluiu uma correção para o CVE-2017-13080. Um dos vários componentes da infame vulnerabilidade KRACK no protocolo WPA2 descoberto no mês passado.

No entanto, a Apple apenas criou essa solução específica disponível para o iPhone 7 e aparelhos posteriores e dispositivos iPad Pro de 9,7 polegadas e mais tarde. Foi alegado no mês passado que mais de dois quintos (41%) dos dispositivos Android são vulneráveis a esse tipo de ataque.

O que fazer?

Mediante esse cenário, fica comprovado que até mesmo o sistema operacional iOS não está imune aos ataques hackers. Por esse motivo, é importante que você tenha uma assessoria em tecnologia da informação . Estes profissionais resolvem qualquer problema que venha a acontecer no caso de um ciberataque. Problema que nesse ano tem abalado o mundo corporativo.

Nós da EW Info temos experiência e expertise quando o assunto é tecnologia e segurança! Entre em contato conosco e tenha mais segurança em sua rede! Gostou do nosso artigo? Continue navegando em nossa página e saiba mais sobre as notícias do mundo da tecnologia!

Ligue para a EW Informática e fale com um dos nossos especialistas para uma consultoria para sua empresa sem compromisso – (21)3203-0368.

Conheça também nossos serviços em: Antivírus – Bit Defender e Segurança da informação

Entre em contato
e saiba como a EW Info pode te atender
ewinfo@ewinfo.com.br

no responses
Matérias recentes