07/05/18 Novidades # , , , ,

No mês de abril o Windows 10 foi atualizado com novos recursos para os usuários. No entanto, a nova versão do sistema operacional tem apresentado incompatibilidade com o navegador Chrome (um dos mais utilizados em todo o mundo) o que tem acarretado em travamentos repentinos.

Os questionamentos sobre esse problema de incompatibilidade entre Chrome e a atualização do Windows 10 tornaram-se comuns no Reddit e nos fóruns de suporte da Microsoft.

De acordo com o blog da Microsoft, em uma sequência chamada “Chrome congela o Windows após atualização de abril”, um usuário diz:

“Basicamente, é o que o título diz. Tudo congela, botões não funcionam, CtrlAlt Del não funciona. A única forma de ter de volta o controle é fazer o computador entrar em modo descanso apertando o botão de ligar no meu laptop, e depois religar”.

Segundo a organização, uma nova solução está sendo formulada e será anunciada. A expectativa era de que a correção fosse incluída na “Patch Tuesday” (a segunda terça-feira de cada mês, quando a Microsoft libera atualizações de segurança e correções de bugs para o ecossistema Windows). No entanto, até o momento do fechamento do artigo, a atualização não contemplava esse “travamento” do Chrome.

 “Alguns dispositivos podem travar ou congelar ao usar determinados aplicativos, como ‘Hey Cortana’ ou Chrome, após a instalação da Atualização do Windows 10 de abril de 2018”, informa a empresa.

 

O que fazer se o meu Chrome travar com a nova atualização?

Se você se identificou com a situação e está com dificuldades para utilizar o navegador, devido a atualização do Windows 10, há algumas alternativas. A Microsoft tem duas sugestões:

– Tentar utilizar uma combinação de teclas para ligar a tela. No teclado, é possível usar a combinação Win+Ctrl+Shift+B. Em um tablet, pressionar os dois botões de volume três vezes em dois segundos. Se o Windows ainda estiver respondendo, ele tentará retomar suas atividades.

– Nos casos dos notebooks, há a opção de fechar a tampa e abri-la novamente.

Segundo especialistas e portais de tecnologia, é estranho esse tipo de situação acontecer com a versão final do Windows. Porque a Microsoft tem o programa Windows Insider com mais de 10 milhões de usuários cadastrados. Que tem o objetivo de testar as possíveis complicações do sistema antes do lançamento. Para assim, detectar falhas graves como essa. A atualização chegou a ser adiada por causa de uma falha que causava a “tela azul da morte”, que foi descoberta graças aos Insiders.

 

Nós da Ew Info continuaremos atentos aos próximos acontecimentos.

Se você quer saber mais do mundo da tecnologia, continue acompanhando a nossa página! E se precisar de alguma solução entre em contato conosco! Estamos sempre prontos para atender os nossos clientes da melhor maneira!

Ligue para a EW Informática e fale com um dos nossos especialistas para uma consultoria para sua empresa sem compromisso – (21)3203-0368.

Conheça também nossos serviços em: Antivírus – Bit Defender e Segurança da informação

Entre em contato
e saiba como a EW Info pode te atender
ewinfo@ewinfo.com.br

no responses
16/04/18 Tecnologia # , , ,

Quando falamos do smartphone iPhone, logo pensamos em qualidade e segurança. Afinal, desbloquear esse aparelho é muito difícil. Mas, nos últimos dias descobrimos que não é impossível. Um novo aparelho – GrayKey – promete descobrir a senha do iPhone em poucas horas. 

GrayKey é uma caixa de 10×10 cm que tem um par de cabos Lightning acoplados na parte dianteira para a conexão simultânea de dois iPhones. O aparelho que foi idealizado pela startup Grayshift está sendo adquirido para que autoridades dos Estados Unidos utilizem em investigações.

A startup realizou demonstrações com os públicos de interesse e os convenceu de suas habilidades, porque até mesmo o FBI está motivado para comprar a nova tecnologia.

Estima-se que a GrayKey precisa em média de 6,5 minutos para fazer o desbloqueio de um iPhone com senha de quatro números. Ou aproximadamente 11 horas com uma combinação de seis dígitos. Conforme aumentam os caracteres, o tempo também aumenta. Por exemplo, com 10 dígitos, são necessários 4.629 dias, de acordo com o professor de criptografia da Universidade Johns Hopkins.

 

Mas, como funciona a GrayKey?

A startup Grayshift não dá informações aprofundadas da forma de funcionamento. Uma das formas é por meio de uma brecha existente no sistema operacional que ainda não foi corrigida e identificada pela Apple. Em que se instala um software que consegue driblar o Security Enclave, forçando assim o descobrimento da senha.

Apesar da maneira de funcionamento ainda não ter sido confirmada, a GrayKey já está sendo vendida. A mais acessível custa 15 mil, exige conexão à internet e está limitada a 300 desbloqueios; a mais cara custa US$ 30 mil, funciona de modo offline e não tem limite de uso (Tecnoblog).

Os altos valores não chegam perto dos gastos do FBI para desbloquear um iPhone de um terrorista.

Muito provavelmente a Apple irá arrumar alguma forma de “barrar” essa tecnologia. Mas, podemos concluir que a melhor forma de se proteger contra essas “vulnerabilidades” é adotando uma senha alfanumérica – com uma combinação de caracteres alfabéticos e numéricos. Dificultando o descobrimento de sua senha.

 

Gostou do artigo? Viu como investir em segurança cada vez mais será uma questão de necessidade? Nós da EW Info estamos conectados com o mundo da segurança e tecnologia para melhor atender nossos clientes! Marque um café conosco!

Ligue para a EW Informática e fale com um dos nossos especialistas para uma consultoria para sua empresa sem compromisso – (21)3203-0368.

Conheça também nossos serviços em: Antivírus – Bit Defender e Segurança da informação

Entre em contato
e saiba como a EW Info pode te atender
ewinfo@ewinfo.com.br

no responses
09/04/18 Tecnologia # , , , ,

De acordo com o Starcounter, o navegador Google Chrome é o mais popular do mundo, sendo utilizado em mais de 50% de desktops e smartphones. Se qualquer bug acontecer com ele o impacto é grande, uma vez que interfere na vida de milhões de usuários. Saiba mais sobre o assunto em nosso artigo!

Uma “falha” encontrada pelos especialistas, mostra que por conferir a integridade dos arquivos que o usuário baixa, o Windows pode ficar lento quando o navegador do Google é iniciado.

Como acontece?

Primeiramente, o navegador Google Chrome carrega a lista de downloads que foram feitos e verifica um por um para ver se ainda existe no mesmo local. Para Asanka Herath, um dos membros da equipe de desenvolvimento do Chrome, “tudo isso acontece cada vez que o navegador é aberto. Carregar o histórico de downloads para checar a existência deles consome muitos recursos”.

Porque isso está acontecendo?

Segundo a gerente de produto da SecurityScorecard, Kelly Shortridge, o problema foi descoberto quando ela percebeu que o Chrome estava utilizando seus recursos embutidos de antivírus. Porque desde o ano de 2017, ele tem uma ferramenta no Windows para detectar e remover softwares indesejados, desenvolvida em parceria com a ESET (Portal TecnoBlog).

O portal Motherboard, explica que “se encontrar algum malware suspeito, o Chrome envia metadados do arquivo onde o malware está armazenado e algumas informações do sistema para o Google. Em seguida, ele pede permissão para remover o arquivo suspeito”.

Porém, especialistas descobriram que o problema não era esse. Mas sim na verificação de listas de downloads quando o navegador se inicia.

O que eu faço?

Quando perceber que o seu computador está lento, abra o Chrome e:

– Limpe o histórico de downloads

– Vá até Chrome://downloads, clique no ícone de três pontos no canto superior direito, e depois em “Limpar tudo”.

Seguindo essa dica, a lentidão do navegador diminuirá e você não perderá “tempo”.

 

Gostou do nosso artigo? A nossa dica te ajudou? Continue navegando em nossa página! Toda semana temos um novo conteúdo para você! Se você precisa melhorar o setor de TI de sua empresa, entre em contato! Estamos sempre preparados e antenados com o mundo da tecnologia para melhor atender nossos clientes!

Ligue para a EW Informática e fale com um dos nossos especialistas para uma consultoria para sua empresa sem compromisso – (21)3203-0368.

Conheça também nossos serviços em: Antivírus – Bit Defender e Segurança da informação

Entre em contato
e saiba como a EW Info pode te atender
ewinfo@ewinfo.com.br

no responses
02/04/18 Tecnologia # , , ,

Cuidado! Se você teve seu iPhone furtado e recebeu algum e-mail ou mensagem de texto em nome do serviço Find My iPhone, pode ser golpe! Já ouviu a expressão “pior que está não fica”? Saiba que pode ficar! Além de ter seu aparelho roubado, se você não tomar cuidado, pode ser vítima de outro golpe! Saiba mais em nosso artigo!

Seu iPhone foi roubado e recebeu uma mensagem com o nome do serviço Find My iPhone da Apple? Tenha muita cautela! Criminosos estão usando o nome da empresa para aplicar golpes de phishing no Brasil, com o intuito de descobrir o login e a senha do Apple ID das vítimas.

O resultado? Os criminosos conseguem desativar o aplicativo ‘buscar iPhone’ e com os seus dados do serviço disponíveis, acessam todas as informações armazenadas no seu iCloud. Como fotos, mensagens e anotações.

As mensagens de texto e os e-mails direcionam os usuários para um falso site de aparência semelhante a tela do login do Apple ID.

O que é Find My iPhone e Apple ID?

O Find My iPhone é um recurso que permite localizar o dispositivo da Apple (iPhone, iPad, iPod ou MacBook). Com o aplicativo, é possível enviar alertas para avisar que o smartphone foi perdido; bloquear o aparelho; e até mesmo apagar as informações armazenadas no celular, de maneira remota.

Caso o “modo perdido” for ativado no telefone, o aplicativo envia um e-mail para o proprietário do aparelho com a localização exata do smartphone. Vale ressaltar que o Find My iPhone só pode ser utilizado se o usuário souber os dados do Apple ID vinculado ao celular.

Por esse motivo é importante que os criminosos, saibam suas informações. Porque sem o login e a senha do serviço, não é possível desbloquear o aparelho para a sua possível utilização ou revenda no mercado ilegal.

A ferramenta quando bem utilizada é útil para os usuários do iPhone. Yasmin Fernandes, estudante de Publicidade e Propaganda, conta a sua experiência:

“O app Find My iPhone foi fundamental para que eu encontrasse meu celular, através da localização que ele passou de onde meu aparelho estava, consegui recuperá-lo poucas horas depois da perda”.

Como funciona o golpe?

 E-mail:

  • As pessoas caem no golpe pela grande semelhança com a identidade e comunicação da Apple.
  • Um mapa fictício informa que o seu aparelho foi localizado em uma rua simulada e te apresenta a opção para visualizar o local.
  • Os usuários mais desavisados clicam para ver a localização do celular roubado e são redirecionados a um site com a tela de login do Apple ID.
  • Como a falsa página é parecida com a original, quando o usuário coloca as informações, os criminosos têm acesso a todos os seus dados.

 

No celular:

Nas mensagens do texto é mais fácil de identificar o golpe. Pois o SMS contém erros ortográficos e uma duvidável formatação.

Como não cair na armadilha:

Atenção é o segredo!

Primeiramente é essencial que o usuário preste atenção nos detalhes. Como por exemplo, no e-mail original da Apple: noreply@email.apple.com.

Outra dica:  é possível identificar previamente o endereço do site pelo navegador do computador (basta abrir a mensagem no computador e “passar o mouse” em cima dos links azuis que estão localizados no canto inferior, conforme a imagem).

Os e-mails verdadeiros são compostos por páginas iniciadas em https://www.apple.com. Os criminosos, por outro lado, têm links suspeitos que não começam com o nome da companhia.

Outra dica importante: a Apple não utiliza SMS para comunicar sobre a localização do Find My. Logo, não é recomendável que se clique em páginas enviadas por mensagens de texto.

Se o seu iPhone foi roubado é recomendável que você rastreie ele por meio do seu iCloud, utilizando o Apple ID.  Com essa ferramenta é possível que o dono do aparelho faça outras ações, como usar o Modo Perdido e Apagar o iPhone. Outra solução é ligar para a operadora e pedir o bloqueio.

Veja mais informações no vídeo que separamos para você:

Adaptação: Techmundo

 

Gostou do nosso artigo? Continue acompanhando a nossa página! Estamos sempre antenados para atualizar os nossos clientes sobre o mundo da tecnologia! Precisando de algum serviço? Venha nos conhecer!

Ligue para a EW Informática e fale com um dos nossos especialistas para uma consultoria para sua empresa sem compromisso – (21)3203-0368.

Conheça também nossos serviços em: Antivírus – Bit Defender e Segurança da informação

Entre em contato
e saiba como a EW Info pode te atender
ewinfo@ewinfo.com.br

no responses
19/03/18 Novidades , Tecnologia # , , , ,

Com a agilidade do nosso cotidiano, cada vez mais não podemos perder tempo com pequenas coisas. O que antigamente demorava meses para acontecer, com a tecnologia fazemos em minutos. Por exemplo, para conseguir a assinatura de uma pessoa que estava distante era preciso esperar até que ela estivesse presente. Hoje, podemos assinar um contrato ou um outro documento que vem por via eletrônica.

Como?

Você pode assiná-lo diretamente no seu iPhone usando apenas seu dedo e, em seguida, enviá-lo de volta, sem utilizar caneta ou papel. E o melhor: em formato PDF que garante que sua assinatura não terá alterações.

Curiosidades sobre o PDF

O PDF – Portable Document Format – é um formato de arquivo que foi desenvolvido pela Adobe Systems, que ‘conversa’ com diferentes extensões de arquivos, sendo muito útil para facilitar a visualização de documentos.

É um formato:

– Padrão ISO;

– Aberto e disponível em diversos sistemas operacionais;

– Não necessita da instalação de um programa original;

– Permite a visualização sem distorções do conteúdo original, como fontes, fotos, número de páginas etc.

– Utilizado para arquivo, enquanto meio de acesso aos documentos e preservação futura.

Recebeu um documento em PDF no seu iPhone e precisa assinar? Veja como resolver esse problema:

 

1 – Abra o aplicativo Arquivos e siga para o local onde está o documento que deseja assinar.

2 – Acesse a pasta e abra o documento que deseja assinar.

3 – Toque no ícone de lápis no canto superior direito da tela. Em seguida, clique no ícone “+” no canto inferior direito e escolha a opção “Assinatura”.

4 – Use o dedo para fazer a assinatura acima da linha indicada. Você pode refazer a assinatura a qualquer momento tocando na opção “Limpar”. Quando estiver satisfeito, toque em “OK”. Na janela seguinte, arraste a assinatura para o local do documento onde ela deve constar e toque em “OK”.

5 – Para enviar o documento assinado, volte para a pasta onde ele está armazenado e toque sobre ele. Em seguida, clique no ícone de compartilhamento no canto inferior esquerdo da tela.

6 – Escolha uma das opções para enviar seu documento assinado para um destinatário.

Fonte: Tecmundo

Viu como a tecnologia está a nosso favor? Por esse motivo é importante estar sempre antenado com o mercado da tecnologia e nas suas constantes mudança!

Nós da EWInfo estamos sempre nos atualizando para atender todos os nossos clientes de maneira personalizada. E de acordo com as constantes mudanças do mercado! Entre em contato! E continue acompanhando a nossa página para saber mais do mercado de tecnologia!

Gostou do artigo? Não deixe de continuar acompanhado a nossa página!

Ligue para a EW Informática e fale com um dos nossos especialistas para uma consultoria para sua empresa sem compromisso – (21)3203-0368.

Conheça também nossos serviços em: Antivírus – Bit Defender e Segurança da informação

Entre em contato
e saiba como a EW Info pode te atender
ewinfo@ewinfo.com.br

no responses
29/01/18 Tecnologia # , , , ,

Você já teve a sensação de que seu computador, comprado nos últimos anos,demora para executar tarefas da mesma forma ou até mais que um PC antigo? Se sua resposta é sim, você não está sozinho. Dan Luu, ex-engenheiro da Google e da Microsoft, tinha essa impressão. Para ele os atuais computadores – os desenvolvidos e comprados em 2017 – aparentam ser mais “lentos” do que os elaborados nos anos 1980.

Obviamente, por ser um engenheiro de software, Dan Luu tem o conhecimento de que as máquinas de hoje possuem mais tecnologia do que as de antigamente. No entanto, o questionamento do profissional é em relação ao tempo de resposta dos novos aparelhos aos comandos dos usuários –a famosa latência.

 

Latência- fator que assegura qualidade na velocidade da internet, uma expressão de quanto tempo leva para um pacote de dados ir de um ponto designado para o outro, o sinônimo de latência na rede é ‘atraso’. Exemplos de latência: o tempo de resposta ao acessar um site; quanto tempo um e-mail leva para chegar ao seu destino, entre outros. O intervalo deste tipo de ação é chamado de latência (Fonte: Minha Conexão).

 

Para sanar a sua dúvida, Dan Luu resolveu fazer um teste – verificar uma série de computadores lançados desde os anos 1980 até o ano de 2017. O engenheiro mediu o tempo que leva para cada um desses aparelhos responder a um aperto no teclado para descobrir se os dispositivos de hoje são de fato menos responsivos que os de antigamente.

 

Quais foram os resultados?

Os resultados foram surpreendentes! De fato, um Apple lle, lançado originalmente pela queridinha empresa “Maça” em 1983, acabou ficando com o primeiro lugar no quesito ’menor latência’ entre todos os aparelhos testados.

 

Como? Devo então comprar um computador antigo?

Calma, claro que não! Os computadores atuais têm mais tecnologia e recursos que os de antigamente. Mas, por eles possuírem sistemas operacionais mais modernos, versáteis e pesados, eles acabam tendo uma quantidade maior de ‘processos’ no momento de registrar um aperto de teclado no Windows 10, diferente do sistema do Apple lle, por exemplo.

Então, deve-se levar em consideração que os PCs de antigamente tinham sistemas mais simples, por esse motivo o Aplle lle, que tem um processador rodando a apenas 1 MHz, conseguiu responder ao teste do aperto de tecla em apenas 30 milissegundos. Diferente do desktop PowerSpec G405 com Intel Core i7-7700K de 4.20GHz, que levou 200ms.

E o teste não parou por aí! O engenheiro testou ainda alguns modelos com monitores de taxas de atualização diferentes (24 Hz, 60 Hz, 120 Hz…). Foi descoberto que um computador mais antigo poderia ter uma latência de apenas 90 ms com um monitor de 60 Hz e que um PC com um processador Intel Haswell-e de 2014 poderia ter vários resultados, saindo de 140 ms em um monitor de 24 Hz para 50 ms em uma tela de 165 Hz.

Outro dado revelado é que alguns sistemas operacionais têm maior desempenho no quesito latência. As máquinas mais simples obtiveram uma maior vantagem em plataformas iOS, Chrome OS. Já nas mais complexas como o Windows 10 e o macOS High Sierra ficaram nas últimas colocações.

 

Como os testes foram realizados?

Para realizar os testes, foram utilizadas duas câmeras. Uma que apontava para o teclado enquanto o engenheiro apertava uma tecla e a outra que apontava para o display da máquina em teste. Uma delas era capaz de fazer 240 quadros por segundo, enquanto a outra chegava a 1.000 quadros por segundo.

Vale ressaltar que não podemos levar os resultados como algo inquestionável. Uma porque Luu não é especialista em hardware antigo – logo, não colocou todos os computadores nas mesmas condições de testes. E outra porque as câmeras que ele usou para medir o tempo poderiam ser mais capazes na questão dos quadros por segundo, caso ele tivesse um laboratório mais completo à disposição.

O teste foi realizado no improviso, mas mostrou que apesar de serem mais tecnológicas e avançadas as máquinas atuais respondem de maneira mais lenta a alguns de nossos comandos. Por essa razão algumas empresas estão estudando para amenizar esse problema.

 

Gostou do nosso artigo? Estamos sempre antenados no mundo da tecnologia em busca de compreender e entender as necessidades dos nossos clientes para atendê-los da melhor maneira possível! Entre em contato!

Ligue para a EW Informática e fale com um dos nossos especialistas para uma consultoria para sua empresa sem compromisso – (21)3203-0368.

Conheça também nossos serviços em: Antivírus – Bit Defender e Segurança da informação

Entre em contato
e saiba como a EW Info pode te atender
ewinfo@ewinfo.com.br

no responses
04/12/17 Tecnologia # , , , ,

Microsoft faz experiência com novo recurso do Windows que organizará diferentes aplicações abertas em uma janela como se fossem abas de um navegador!

“O conceito por trás dessa experiência é assegurar que tudo relacionado com sua tarefa – como páginas web relevantes, pesquisa de documentos, arquivos e aplicações – estejam conectados e disponíveis em um clique” (Terry Myerson – vice-presidente de software da Microsoft).

De acordo com uma pesquisa realizada pela StatCounter em 2017, o sistema operacional Windows é um dos mais utilizados em todo o mundo, totalizando 84% dos dispositivos. O que mostra que o sistema da Microsoft está em grande parte dos desktops das pessoas.

Segundo o portal UOL, o Windows está prestes a ganhar uma nova forma de navegação por programas, que lembra bastante a usada por navegadores. Ou seja, o sistema começará a organizar as distintas aplicações abertas em uma janela como se fossem abas de navegador. O que possibilitará que o usuário tenha janelas temáticas.

Por exemplo, você poderá acessar uma aba com e-mail e navegador aberto, enquanto a outra tem o Microsoft Word e o Power Point sendo executados.

Além disso, a empresa anuncia que se o usuário tiver uma conta no Office 365, sistema de assinatura do pacote Office, o sistema sincronizará os aplicativos e janelas abertos. Isto é, ao iniciar um aplicativo, o Windows perguntará se você quer continuar a trabalhar com os programas abertos anteriormente.

 

Curiosidades sobre o sistema operacional Windows

1 – A princípio Bill Gates queria que o Windows se chamasse “Interface Manager”, mas o chefe de marketing da Microsoft – Rowland Hanson, convenceu que o nome Windows teria mais apelo.

2 – O Windows 95 foi a primeira versão do sistema com o botão “Iniciar”.

3 – O famoso papel de parede do Windows XP, conhecido como “Bliss” é uma fotografia real. Foi tirada no condado de Sonoma, na Califórnia, em 1996, por Charles O’Rear, fotógrafo da “National Geographic”. De acordo com o portal da Folha, o fotógrafo estava indo visitar a namorada e ficou admirado pela paisagem. Tirou algumas fotografias e fez o licenciamento delas pelo banco de imagens, chamado Corbis. A Microsoft o procurou e fez uma oferta pelos direitos da imagem. O valor, foi o segundo maior já pago.

 


E você, preparado para essas mudanças? Se interessa pelas transformações do mundo digital? Acompanhe a nossa página! Toda semana temos um conteúdo novo para você! Nós da EwInfo estamos sempre atentos às novidades do mercado para melhor atender os nossos clientes! Entre em contato conosco!

Ligue para a EW Informática e fale com um dos nossos especialistas para uma consultoria para sua empresa sem compromisso – (21)3203-0368.

Conheça também nossos serviços em: Antivírus – Bit Defender e Segurança da informação

Entre em contato
e saiba como a EW Info pode te atender
ewinfo@ewinfo.com.br

no responses
Matérias recentes