Por mais que não seja como hackear uma conta do Facebook, hackear um WhatsApp não é uma tarefa impossível. Há diversas fórmulas que necessitam apenas de conhecimento técnico e engenharia social. Quer saber como proteger seus dados? Leia mais!


Há uma solução bem simples que irá te ajudar contra hackers e invasores: a chamada de verificação. Ela possui apenas duas etapas e ativá-la é bem fácil. Tanto em Androids como em iPhones, a forma é a mesma.

Ativando a chamada de verificação

Vá primeiro até as configurações e depois em conta. No novo menu você irá clicar em Verificação em duas etapase depois em ativar. Feito isso, basta apenas definir uma combinação com seis dígitos. Deve ser uma numeração que você não esqueça e também que não seja simples, como 123456.

Essa senha será solicitada de tempos em tempos pelo WhatsApp. Também será exigida para configurar o aplicativo em outro celular. Vale lembrar que, a solução não te deixa livre do ataque de hackers. Isso é possível aliando um recurso de proteção à educação dos usuários sobre riscos de ataques na web. Porém, essa solução irá dificultar bastante o trabalho de um cibercriminoso.

Hackear uma conta de WhatsApp exige processos mais complexos do que o tradicional roubo de senhas. Há dois métodos que são mais conhecidos.

Ataque utilizando correio de voz

O primeiro ganhou mais conhecimento no início de outubro, quando uma onda de ataques atingiu usuários de Israel. A técnica é simples e utiliza correios de voz. Primeiro o hacker instala o WhatsApp no seu próprio smartphone e tenta ativar uma conta com o número da vítima. Então o aplicativo oferece duas formas de enviar o código: por SMS ou ligação.  O invasor age em um horário onde a vítima não está ativa e escolhe a segunda opção. O WhatsApp acaba deixando uma mensagem no Correio de Voz e o criminoso invade sua caixa postal, algo que não é difícil. Com o código de verificação em mãos o invasor pode tomar a conta.

Usar a verificação em duas etapas ajuda porque cria uma segunda barreira de ativação em casos como esse. Ainda que o hacker consiga cadastrar a conta em seu próprio celular ele ainda precisará da senha definida pelo usuário.

 

SIM Swap 

Já o segundo método utiliza engenharia social e é mais complicado. O processo é chamado de SIM Swap e explora o fato das operadoras poderem transferir um número de telefone de um cartão SIM para o outro. Primeiro o cibercriminoso coleta dados da vítima, tanto por meio de ligações como por e-mails enganosos. Ele usa essas informações para convencer um atendente da operadora a transferir o telefone para seu chip.

Esse tipo de ataque consegue driblar até mesmo alguns métodos de verificação em duas etapas, como os do Facebook, Twitter e outros serviços. Já que, com o telefone da vítima o invasor consegue receber até mensagens SMS com códigos de autenticação que essas redes sociais enviam. No entanto, a combinação única criada pelo próprio usuário protege a conta no WhatsApp.

 


Quer saber mais sobre proteção de dados? Nós da EW Info estamos há mais de 15 anos no mercado sempre preparados para atender nossos clientes. Entre em contato conosco!

Ligue para a EW Informática e fale com um dos nossos especialistas para uma consultoria para sua empresa sem compromisso – (21)3203-0368.

Conheça também nossos serviços em: Antivírus – Bit Defender e Segurança da informação

Entre em contato
e saiba como a EW Info pode te atender
ewinfo@ewinfo.com.br

Tecnologia # , , , , ,
Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Matérias recentes

Inscreva-se e receba novidades e soluções
de redes ou sistema para sua empresa

Soluções

Entre em contato com a EW Info